© 2023 por Tipo Diva Blog | Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Black Instagram Icon

Viagem: Serra Negra, Brahma Kumaris

21.02.2017

 

No último final de semana eu viajei para Serra Negra no interior de São Paulo. Eu amo viajar, conhecer lugares novos, pessoas novas e sempre que tenho a oportunidade não a desperdiço. Algumas viagens realmente não são acessíveis então escolho opções mais baratas e economizo para conseguir viajar. É uma terapia para mim e acho que é para muitos, sobretudo porque me identifico com o tipo de vida perto da natureza, com um dia a dia mais tranquilo e aprecio muito o silêncio. Como já havia postado aqui, um dos meus objetivos desse ano é aprender a meditar, praticar meditação como parte da minha rotina. Em algum poema meu, eu digo que o ser humano é um Universo e se tem uma pessoa que gosta de explorá-lo, essa sou eu! Eu penso que o bem estar físico de nada adianta se a mente não está equilibrada, conectada com a real essência do ser humano. Muitas pessoas passam por nossas vidas, deixam um pouco delas, levam um pouco de nós, mas só agora nesse processo de redescoberta do meu eu, consigo perceber que as relações devem sempre nos fortalecer, nos ajudar de alguma forma a aprender novas coisas. Conhecer pessoas que redespertam nosso eu é o encontro mais lindo que pode existir. A atitude parte de cada um, o querer aprender sem deixar de lado a real essência... Analisando alguns pedaços da minha breve história pela vida (20 anos!!) identifiquei momentos nos quais a minha conexão comigo mesma era mais forte e momentos em que não era. Dessa forma, percebi o quando a relação saudável com meu próprio eu me faz bem! Por muitas vezes nossas certezas são abaladas, contestadas e rebaixadas dentro de algum contexto. Esse movimento é importante sim, porque é na dificuldade que mais aprendemos, é quando tudo se coloca em xeque que precisamos da força interior para analisar com calma e paz todas as nossas certezas. Nesse contexto, eu comecei a me ater ao mundo material deixando de lado a minha essência, a conexão com meu eu se enfraqueceu... E ao analisar isso eu acreditava ser algo "natural" que acontece quando as pessoas "crescem", que se estabelece quando a intelectualidade e o conhecimento se desenvolvem na nossa vida. De qualquer forma, cheguei num momento em que eu conquistei uma das coisas que eu mais queria: passar em uma Universidade Pública. E a partir daí pensei que todos os problemas se resolveriam, que a felicidade constante passaria a fazer parte da minha vida. Mas na realidade, eu sentia que faltava algo. Porque nada explica a sensação de bem estar quando estamos conectados com nosso verdadeiro eu e com Deus. Resolvi então retomar minha espiritualidade e perceber o mundo de outra forma, mudar o olhar, recolocar o mundo material no seu devido lugar...

Em outra postagem do blog, eu contei sobre como foi conhecer a sede da Brahma Kumaris no Brasil, aqui em São Paulo. Desde o momento em que conheci a Brahma Kumaris me identifiquei e, principalmente, me senti em paz. Foi com a vontade de conhecer mais sobre essa filosofia e a necessidade de fortalecer meu lado espiritual que resolvi ir ao retiro de Introdução à Meditação Raja Yoga oferecido em Serra Negra. Esse movimento em busca da real essência, da conexão, só faz sentido para mim, se for capaz de provocar sentimentos bons, autênticos. Estar em um lugar no qual não me sinto à vontade ou discordo de muita coisa certamente atrapalha o processo de redescoberta do ser e identificação com a filosofia.

Dia 1

No dia 17 de fevereiro, eu fui para a faculdade e depois fui direto para a rodoviária do Tietê em São Paulo. Peguei o ônibus para Lindóia às 13h30 e cheguei em torno das 17h30 no retiro. Conheci as pessoas que iriam organizar o final de semana e me levaram para conhecer a casa que eu ficaria, a Casa da Fonte. Parece que ao chegar nesses locais um outro mundo se apresenta diante de nós, esqueci problemas de SP, conheci pessoas e troquei experiências únicas, apreciei o momento e me atentei ao presente. O retiro só começaria no dia seguinte então apenas meditamos na sexta-feira, jantamos uma comida vegetariana deliciosa e aproveitamos para dormir respirando um ar melhor, diferente.

Dia 2

O restante das pessoas que também participaram do retiro chegaram no sábado cedo. Nossa rotina era basicamente acordar cedo, meditar, alongar, tomar café e ao longo do dia aprender sobre a filosofia da Brahma Kumaris e o processo de meditação. Eu poderia passar minha vida em um lugar como esse. Porque com o desenvolvimento da percepção do presente todo dia é um novo dia, a singularidade está no detalhe. Então não seria tedioso visto que a partir da observação atenta ao presente nada é como antes, há sempre algo novo, belo, sublime para observar ou aprender. 

Dia 3

No último dia já acordei com um sentimento de nostalgia, querendo que durasse só um pouquinho mais. Na realidade, quando aproveitamos o presente sem deixá-lo escapar, por mais que a saudade exista, não há um sentimento de "poderia ter aproveitado mais", porque a percepção atenta ao presente não permite que desperdicemos momentos ou deixemos para fazer amanhã algo que poderíamos fazer hoje. A partir dessa reflexão proposta no retiro percebi o quanto as tecnologias nos roubam o presente a cada instante. É o estar aqui e não estar. Utilizar o celular ou outros aparelhos eletrônicos ao invés de viver o agora com quem está ao nosso lado. E no final sentimos uma existência vazia decorrente da falta de atenção ao presente. Obviamente não desprezo as tecnologias, têm a sua importância, mas o uso deve ser consciente. No final do primeiro dia e na chegada do segundo já tentei mudar minha postura e colocar em prática aquilo que aprendemos ao longo do dia. E a conexão com o eu e com Deus nos torna mais sensíveis aos detalhes e ao invisível. Acredito que sonhos dizem muito sobre nosso inconsciente e é nossa forma de acesso a ele mais evidente. Na segunda noite que dormi lá, depois de vários aprendizados, sonhei a noite, coisa que não acontecia há muito tempo. Voltei depois do almoço para casa e cheguei em São Paulo com o desejo de perceber o mundo de outra forma, com desejo de mudar meu olhar, minha postura para que assim por meio da minha mudança eu mude também o mundo à minha volta.

Não vou escrever muito sobre o que de fato aprendi lá afinal esse texto é uma motivação e incentivo para vocês irem e conhecerem! A experiência é insuperável, estar e vivenciar aquele lugar deixa marcas eternas no ser. 

Algumas dicas para quem deseja ir

Comprei minha passagem com antecedência para Lindoia saindo do Terminal Rodoviário do Tietê em São Paulo às 13h30. Fui esse horário para conseguir chegar de tarde e jantar lá. Além disso, eles recebem quem vai se hospedar até 21h na sexta então não quis correr o risco de chegar depois. Desci um pouco depois da rodoviária de Serra Negra então tive que pedir para o motorista que me avisasse, geralmente eles conhecem o local, e é super fácil chegar. O ônibus para em frente!! Levei as malas comigo já que desci no meio da estrada. Levei roupas leves, tênis, chinelo, roupa de cama e banho. Nada de exagero! Basta pouco para viver nesses lugares. E não esqueçam o repelente!!!! Eu deveria ter levado aqueles dispositivos para colocar na tomada porque sou MUITO alérgica (voltando da viagem tive que ir ao médico porque as picadas - mesmo passando repelente - infeccionaram/inflamaram assim sendo estou passando pomada e tomando uns remédios; mas é só um corpo vulnerável que melhora sobretudo se a mente está em paz, equilibrada, consciente, conectada...). Levei um livro também para me acompanhar!

Por fim, aproveitem como se não existisse amanhã, cada segundo dessa viagem está marcado em mim com o selo da eternidade. Cada momento é único e a vida é aqui e agora! Não deixem o presente escapar, não passem o dia reclamando, resmungando, só vendo o lado negativo das coisas ou os defeitos das pessoas. Mude o seu jeito de ver o mundo e o mundo vai te ver de outra forma. A transformação começa dentro. E o desapego ao que é material é libertador.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

Algumas fotos do que comi lá, somente alimentação vegetariana! Produzido lá, colhido da horta... e feito principalmente com boas energias.

 

 

 

 

 

 

 

  

 

  

 

Comprei esses três livros lá porque o conhecimento sobre a filosofia é fundamental para ser um ponto de partida a fim de colocar em prática os aprendizados. Se alguém se interessar, é possível encontrar no endereço da Brahma Kumaris em São Paulo. Não sei de outros locais ou venda online, mas certamente enviando um e-mail tem como ficar melhor informado. 

 

Esse é o site da Brahma Kumaris http://brahmakumaris.org.br/ onde é possível encontrar diversas informações sobre retiros e sobre a filosofia. No retiro assistimos um filme chamado "O Ativista Quântico", para quem quiser assistir também!! Espero que tenham gostado, vamos praticar amor, paz, verdade!!

E para finalizar um poema da cultura judaica que diz muito sobre sermos nós mesmos, verdadeiros e vivermos a essência do nosso ser:

 

"Se eu sou eu porque você é você.
E você é você porque eu sou eu, então nem eu sou eu nem você é você.
Mas, se eu sou eu porque eu sou eu, e você é você porque você é você,
Então eu sou eu.
Você é você.
E nós podemos sentar e conversar."

 

Beijos e espero de coração que tenham gostado de mais um relato de viagem, talvez a mais transformadora da minha vida!

Tags:

Please reload

Posts Relacionados

Please reload