© 2023 por Tipo Diva Blog | Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Black Instagram Icon

Sobre convivência diária

28.01.2019

Eu e o Yudi demos um grande passo no nosso relacionamento quando decidimos viajar para os EUA e morar juntos. Antes de mais nada, o que eu acho super importante é ser transparente. Desde que tomamos essa decisão nós conversamos a respeito sobretudo das dificuldades que possivelmente poderíamos enfrentar. A gente já convivia muito antes, nós fazemos quase tudo juntos. Como eu morava em república com meninas da minha faculdade, ele sempre dormia lá. Além disso, nas viagens a gente também conviveu bastante e se conheceu muito. Ainda assim, morar juntos é uma oportunidade para nos conhecermos mais ainda. Nós dois somos tranquilos em relação a maioria das coisas, barulho, luz etc. Eu gosto de organização e limpeza, mas aprendi que não dá para se estressar com isso ou deixar de viver por isso. Mas eu gosto de fazer certas coisas, gosto de arrumar a casa, organizar, então eu faço sem problema. Ele cozinha e lava roupa. Muitas vezes tarefas do dia a dia da casa podem gerar estresses e levar a desentendimentos. Estamos trabalhando bastante aqui e é compreensível que tenhamos preguiça, mas o que eu percebo é que quando resolvemos fazer juntos um motiva o outro e isso é muito bom. Principalmente pra não rolar aquele sentimento de ser responsável por tudo sozinha. Não dá pra impor um jeito de fazer as coisas, cada pessoa tem uma forma e seu tempo. Mas sugerir e ajudar a melhor é válido. O ponto mais importante para mim é não deixar que coisas banais do dia a dia como tarefas domésticas levem à falta de respeito, brigas e formas agressivas de lidar com a situação. Eu preso muito pela boa energia do lar, acho que palavras, pensamentos, gestos e ações contribuem para aumentar ou diminuir a vibração boa do lugar. Manter o respeito é fundamental em qualquer situação. Gosto de queimar incensos e realmente sentir que o ambiente é um local legal para morar. Organização para mim faz uma super diferença nisso. Não acho que temos que acumular coisas que não usamos, não sou apegada a roupas ou coisas do tipo, sempre estou doando ou jogando no lixo coisas que não prestam pra nada. Isso acumula energia e ocupa espaço que pode ser útil. Enfim, assistam Ordem na Casa no netflix, é ótimo pra quem quer se tornar mais organizado.

Agora sobre o nosso relacionamento especificamente, pra mim é muito claro que como qualquer relacionamento essa é uma oportunidade gigante de me autoconhecer. Eu enxergo dessa forma. Não é sobre o outro, é sobre mim. Observar as emoções, sentimentos, reações diante das situações e perceber que o outro não provoca nada, só desperta algo em mim que diz sobre mim e eu tenho que lidar com isso. Podem ser coisas que a gente nega, que a gente não quer enxergar ou até despertar o nosso melhor. Sem dúvida alguma depois que eu conheci o Yudi eu sou a Gabi que eu gosto de ser, que curte viajar, acampar, praticar esporte, apreciar o sagrado que existe em cada canto desse mundo... Mas é um engano achar que os relacionamentos só despertam nosso melhor. Na real, é a maior oportunidade que temos de lidar com as nossas sombras e com muito amor e paciência fazermos brilhar nossa luz. Enxergar nossos defeitos, nossas limitações, assumir erros, perdoar, se desculpar é essencial gente. Deixa o orgulho de lado!!! Ficar jogando a culpa no outro, não vale a pena! É muito melhor se enxergar como coautor da situação, um relacionamento não é unilateral, ambas as partes tem responsabilidades. Às vezes a gente erra querendo acertar, tentando fazer o melhor. Isso acontece! Faz parte! Não tem problema errar. Mas não assumir erros, se sentir sempre dono da razão faz muito mal para qualquer relacionamento. Outra coisa importantíssima! Pelo menos para mim. Cada um dentro da sua jornada vai lidar com as situações de formas diferentes porque cada um tem uma história de vida, uma "formação" familiar diferente. De qualquer forma, para mim, aceitar críticas é muito importante. Críticas construtivas, sugestões, abrir mão do orgulho e ver que o outro pode sim te ajudar muito a melhorar em vários aspectos da vida. É uma oportunidade de crescimento e expansão da consciência. Cada um que passa pela nossa vida não passa por acaso. A gente certamente tem algo a aprender. Muitas pessoas identificam uma situação específica com a pessoa envolvida nisso e levam para o pessoal. É realmente um jeito mais fácil de lidar! Você joga tudo nas costas do outro e se livra do "problema" de lidar com os seus pontos negativos. Mas o que eu digo é que essas situações vão continuar se repetindo até que você aprenda. Não é trocar de relacionamento ou cortar relação com as pessoas que vai te livrar disso. Porque é sobre você. Enquanto não enxergar isso e jogar a culpa no outro, todos os padrões vão continuar acontecendo. Observe na sua vida situações que se repetem e analise como você agiu diante delas. Como você pode mudar sua postura em relação a isso. Você é coautor da sua realidade, junto com Deus e o Universo. Mas quando você começa a expandir a consciência, se autoconhecer, é como uma orquestra. Tudo flui perfeitamente em sincronia. Pratiquem isso! Mudou a minha vida. A gente continua cometendo vários erros sim, mas mudar a consciência, mudar o foco do outro para você em qualquer situação é uma fonte infinita de autoconhecimento. E quanto mais consciente e conectado você estiver mais as coisas vão fazer sentido, lembranças sobre o que pode ter levado você a agir de tal forma, da infância, família etc. Todo mundo tem uma história, tudo tem um porque. E as coisas vem à consciência quando a gente se abre, quando a gente se dispõe a receber os ensinamentos. 

Nenhum relacionamento é perfeito, temos problemas com certeza. Mas, para mim, algumas coisas são essenciais para preservar relacionamentos saudáveis. Nem que se transformem em amizade depois. O ponto é que não pode haver espaço para mágoas, ressentimentos, rancor. E isso a gente constrói no dia a dia. Principalmente com respeito. Cuide com as suas palavras, pensamentos, gestos e ações. Tudo isso tem o poder de transformar o ambiente e a vida de alguém. Conversar abertamente sobre as coisas, não deixar nada acumular. Dizer de forma educada e carinhosa o que não está legal. A gente foi criado assistindo filme romântico nos quais se o casal não briga de forma desrespeitosa então não é casal de verdade. Isso não entra na minha cabeça. Por que você precisa ofender, humilhar e expor o outro a situações que o magoam sendo que é possível resolver de forma respeitosa a situação? Eu tenho a convicção de que pessoas que se comportam desse jeito dizem mais sobre desequilíbrios delas do que dos outros. Quem ofende, humilha, xinga está dizendo sobre si próprio não sobre o outro. Uma busca de sair "vencedor", por cima da situação, se sentir superior... Isso foi criado e colocado na nossa cabeça. Não precisa ser assim. Não precisa de barraco, gritaria e confusão pra configurar um casal, como em todos os filmes que a gente assiste. Não há vencedor ou perdedor. Como a Monja Coen diz, "fale com amor". Essa é a força maior que transforma tudo, que é responsável por tudo se fazer entender. Não enxerguem só os defeitos dos outros, todo mundo tem qualidades! Não deixe de elogiar e reconhecer. E o que une as pessoas também não pode ser esquecido. Há um motivo. A rotina pode ser desgastante, por isso não se acomode! É preciso se esforçar por qualquer coisa na vida. A ideia de que "o amor tudo suporta" usada de forma irresponsável para justificar erros ou permanecer num lugar cômodo, sem realmente estar disposto a se esforçar, a cultivar um relacionamento saudável só contribui para o desgaste da relação. Ninguém quer do lado alguém que parece indiferente, que "tanto faz". O amor não é tão simples assim. Apesar de ser maravilhoso. Ainda acontece de muitas mulheres se dedicarem à família e se esquecerem de se cuidar. Eu estou falando isso, mas não tenho filhos, não tenho grandes responsabilidades, pode parecer fácil falar da minha posição, mas já me peguei deixando de fazer coisas por mim. Não dá para assumir a responsabilidade que é do outro, senão você não tem tempo para você mesmo. E tem coisa que o outro tem que passar, não tem como você evitar e não é sobre ser egoísta, é sobre deixar o outro livre para viver a jornada dele. Muitas mães assumem as responsabilidades dos filhos pensando no melhor, querendo ajudar, mas tem coisa que não somos nós que temos que fazer pelo outro, entende? Cada um tem que passar pelo que tem que passar. A gente pode estar do lado, apoiando e dando suporte sempre. Mas não mais que isso. E isso toma tempo de vida que a gente podia gastar com a gente mesmo, cultivando amor próprio e autoconhecimento. Pode existir muita culpa quando tomamos essa decisão, muitas pessoas acham que é egoísmo. Eu acho que um tempo só para mim é sagrado. Todo dia um pouco. É essencial. O ponto que eu quero chegar é que você faz a escolha. Não estou aqui querendo culpabilizar ninguém. Mas apenas querendo dizer para que honre suas escolhas e assumam as responsabilidades. Ninguém escolhe por você. Não adianta passar a vida e depois culpar o outro por não ter feito o que você queria fazer. Algumas escolhas não são fáceis, eu sei. Mas é como a pessoa que quer emagrecer ou melhorar a saúde e estética do corpo e fica culpando os outros ou as situações por não conseguir. Tem coisas que dependem só de nós. Ninguém pode fazer por nós. E quem te ama, vai entender que essa escolha é para o seu bem. Não se apaguem dentro de relacionamentos ou situações da vida, você vai sempre estar na sua companhia. Se cuide! Que sejam 20min de exercício ou yoga, que seja lendo um livro, meditando, assistindo um filme, cuidando das unhas, cabelos, qualquer coisa! Esse tempo é valioso e é para você. As pessoas se apaixonam pelas outras justamente por gostarem daquilo que elas são. E parece que dentro do relacionamento deixam de ser o que eram. As mudanças e transformações são essenciais. Digo isso no sentido de que as pessoas assumem relacionamento com os outros e se esquecem do relacionamento com elas, antes de tudo e o mais importante. Quando a gente está bem com a gente mesmo, o resto flui. 

Eu amo escrever essas reflexões, tantos pensamentos. Não sou a dona da razão, nem pretendo ser. Só escrevo sobre o meu jeito de lidar com as situações ou pelo menos como eu tento ser cada dia melhor nesse sentido. Algumas coisas estão muito enraizadas em nós e precisamos desconstruir para abir espaço para o novo. Eu assisti muito filme romântico de adolescente, por exemplo, e para mim, discussões desrespeitosas sempre foram saudáveis, a característica principal que dá o selo de "casal". Observem os filmes, novelas etc.Gente isso é uma besteira! Não precisa ser assim. A vida pode ser mais simples com amor e respeito. A gente pode ser feliz todo o dia, com pouco. Busque nas entrelinhas a felicidade no dia a dia. Tem sempre algo para nos fazer sorrir e sermos gratos.

Please reload

Posts Relacionados

Please reload