© 2023 por Tipo Diva Blog | Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Black Instagram Icon

Tempo

A vontade de parar o tempo

No instante daquele momento

O sabor daquele beijo

Ainda vem no meu pensamento

Se eu pudesse voltar

Eu gostaria de continuar

Vivendo aquele segundo

Como se não existisse mais mundo

A saudade é grande

Quando eu penso naquele instante

Vivo querendo reviver

Na ânsia de ser

Mais uma vez sua

Encantamento

Uma confusão de sentimento
Em apenas um momento
Meu coração parecia explodir
Toda vez que você insistia em sorrir
 
Quando você me olha
Nada mais importa
E o que eu mais quero é ter você aqui
Para que eu possa te sentir
 
É difícil não gostar de alguém assim
Você faz tão bem para mim
E há pouco tempo
Já sinto algo aqui dentro
 
Não consigo entender
Eu até tentei me defender
Mas resolvi me entregar
Não tenho forças para escapar

A Paz é você

Difícil explicar

Essa conexão com o seu olhar

Demorei para perceber

Que queria você

Mas aos poucos foi me conquistando

E me mostrando

Que é possível existir respeito

Com esse seu jeito me deixa sem jeito

Nem acredito no que acontece

Às vezes faço uma prece

Pedindo que não seja passageiro

Já que você é a paz pro meu desespero

Cura

Eu não sabia o quanto te amaria

Nesse momento eu só queria

Estar com você

Para poder te dizer

O que eu sinto

E quando eu digo não minto

Você é importante para mim

Não sei por que as coisas são assim

Estou sofrendo

Com o que está acontecendo

Se eu pudesse te curaria

E o mundo sorriria

Porque você é luz

E me conduz

Para um sonho lindo

Sem medo eu vou indo

Um dia juntos estaremos

E por tudo passaremos

Quero estar com você

Até o dia amanhecer

Por mais estranho que pareça

Só te peço que permaneça

Um ao outro

Simplicidade

Apaixonei-me pelo seu olhar
E até tentei disfarçar
Não aguento mais esconder
Estou dizendo que não quero te perder
Cada dia eu tenho mais certeza
Com você não há tristeza
Menti para mim
Quando não acreditei nesse sentimento assim
É tão bonito e sincero
Eu realmente espero
Que você me entenda
Para que nos enxerguemos sem vendas
E juntos descobriremos um ao outro

A arte de costurar

Costura-se a alma

Num instante de dor

O que acalma

É a certeza de transpor

A barreira imposta

Por aqueles que não valorizam

Quem deles gosta

Entender que não se pode exigir

Aquilo que não é possível retribuir

Costura-se a alma

Depois de abertas as feridas

É preciso ter calma

Para recomeçar

Novamente acreditar

Que é possível haver sinceridade

E o caminho para a felicidade

Existe ainda que a esperança

Desapareça num momento de fraqueza 

Sinta o ar
As ondas vêm e vão
A brisa vem do mar
A alegria no coração
Sem relutar
Entrego-me a imensidão
Viver é arriscar
Sem ter razão

Eu só queria repetir

Gostaria de tê-lo de novo aqui

Essa ausência me destroi

E ao mesmo tempo dói

Saber que o que eu sinto

É indiferente e eu não minto

Quando digo que você

Significa muito para mim

Mesmo sem querer

Eu gosto de você

Tento me proteger

E te esquecer

Mas como vou conseguir?

Se é só fechar os olhos

Para você vir

Morar no meu pensamento

E assim como o vento

É passageiro

Nós somos um momento

Um momento

Contradição

Incompreensível seu poder sobre mim

Finjo ser o que não sou

Para deixar enfim

De te querer tanto assim

Mas nossa ligação não acabou

Te desejo e te rejeito

E você vem com esse seu jeito

Tento não me enganar

Mas sou apaixonada pelo seu olhar

É difícil superar

A falta que você me faz

Tudo foi tão fugaz

O eterno é sempre passageiro

Ainda sinto seu cheiro

Gratidão

A percepção não é precisa

Quando a gente visa

Felicidade superficial

E tudo parece banal

Um vazio ocupa o peito

A miséria deixa a gente sem jeito

Por transparecer

Aquilo que se deseja esconder

A vida fica colorida

Quando a gente é capaz de sorrir para uma margarida

Dar bom dia para o Sol

E agradecer até em Espanhol

Para todo dia: apenas sorria

Cada momento é único e o ser humano é um Universo

Não cabe nesse verso

A dor faz morada no peito

E não habita outro lugar

Não dá para transferir de nenhum jeito

Essa dor para outro pulsar

É preciso vive-la individualmente

Com o tempo ela se desfaz

O coração vira mente

E a gente aborta

A semente

Que talvez virasse flor

Mas se transformou em dor

O acaso é dono do destino

E, por vezes, é cretino!

Tira a paz do seu lugar

Acaba com a capacidade de amar

Traz o desejo de se jogar

Num eterno mergulho no mar

A imensidão assim

É a vida sem vim

A essência do mundo

A dor do segundo

Sem você

O acaso

Daqui dessa montanha

O mundo se coloca diante de mim

A vontade sem fim

De pegar com as mãos essa façanha

Obra de algum desconhecido

Que tocou com delicadeza

Cada pedaço dessa beleza

E transformou o sorriso vencido

Na sagrada felicidade

Daqueles que apreciam a paisagem

E em cada viagem

Se sentem mais longe da cidade

Que proporciona tristezas

Muitas vezes difíceis de superar

Sem que haja um olhar

Que ultrapasse as incertezas

Do Capim Amarelo

Escrevo esses pequenos versos

Que são resultado das mais belas vibrações da alma

Dê-me a sua palma

E juntos, de mão dadas,

Viveremos a essência do existir

Façanha

Porto

Essa felicidade fugaz

Eternizada nas fotografias

Lembra-me da paz

Que eu sentia em noites não vazias

Com você aqui perto

Colado, grudado em mim

Sonhando com o porto

E o cheiro de jasmim

A natureza exuberante 

Palco do nosso amor

Cenário perfeito

Pra gritar com todo peito

No porto, meio sem jeito

De frente para o mar, sem amar

Sem amor, sem você

A saudade que eu sinto

Daquele sorriso

Gravado nas fotos

Do seu corpo

Moldado no meu

Do abraço que cabe eu

Donos do mar

Quem inventou o tempo

Que o desinvente por um momento

Para eu poder continuar 

Nos seus braços a descansar

O que caracteriza a intensidade

Não é o tempo, mas a verdade

De cada segundo

Juntos esquecendo do mundo

Sentir seu corpo no meu

Um só num desejo plebeu

De se transformar

Em reis donos do mar

E no altar da natureza

Contemplar a beleza 

Do amor

A mais fina flor

Que a existência humana

Pode sentir e deixar fluir

No corpo, na alma

De corpo e de alma